Quarta, 22 de Setembro de 2021
26°

Alguma nebulosidade

Teresina - PI

Tecnologia Tecnologia

Tubarões usam o campo magnético da Terra como um GPS, diz estudo

Cientistas dos EUA descobriram que os animais voltam para casa com ajuda do campo magnético do planeta

19/05/2021 às 02h06
Por: Redação Fonte: R7 - João Melo, Do R7*
Compartilhe:
Tubarões utilizam o campo magnético da Terra para voltar para suas regiões de origem - (Foto: Divulgação/Shark-References)
Tubarões utilizam o campo magnético da Terra para voltar para suas regiões de origem - (Foto: Divulgação/Shark-References)

Tubarões possuem um 'sistema de navegação' que utiliza o campo magnético da Terra para viajar por longas distâncias de maneira semelhante a um GPS. É o que sinaliza um estudo desenvolvido por pesquisadores da Florida State University, nos Estados Unidos.

Os resultados foram publicados no último domingo (6) na revista científica Current Biology.

Leia mais: Qual a expansão do Universo? Novo telescópio promete dar a resposta

Para fazer esta constatação, os cientistas estudaram 20 tubarões-de-pala, uma pequena espécie de tubarão-martelo, fazendo exercícios simulando os sinais magnéticos de localizações que ficavam a mais de 600 quilômetros de distância dos locais onde foram capturados.

Os animais mostraram que, após capturados, conseguiam se orientar na direção do seu local de origem por meio do magnetismo da Terra.

“Já sabemos há algum tempo que eles têm a capacidade de detectar o campo magnético, mas esta é a primeira vez que testamos com sucesso que os tubarões usam essas habilidades para deduzir qual a sua localização de maneira semelhante aos mapas (GPS)”, destacaram os pesquisadores no artigo publicado.

Tubarões na piscina

Os experimentos foram realizados dentro de uma piscina do tamanho de uma sala, que foi cercada por fios de cobre. Dentro dela, os pesquisadores colocaram os tubarões capturados perto da península da Flórida e usaram a fiação para simular os sinais magnéticos emitidos no local da captura e em posições geográficas que ficam a cerca de 600 quilômetros ao norte e ao sul.

No caso do sinal que apontava para o sul, os tubarões responderam como se estivessem voltando para seus locais de origem, nadando todos na mesma direção, o que sugere que eles "conseguem diferenciar localizações geográficas usando informações do campo geomagnético", disse o estudo.

Quando foi simulada a localização na qual eles foram capturados, onde passam o verão, eles nadaram em direções aleatórias. Já o sinal para o norte os deixou desorientados. Segundo Keller, isso provavelmente acontece porque os tubarões raramente nadam para o norte e, portanto, não conhecem o campo magnético do local: "eles nunca estiveram lá".

Leia mais: Golpistas usam Ministério da Saúde para fazer clonagem de Whatsapp

Além disso, os cientistas utilizaram câmeras para monitorar o comportamento dos animais e um software para analisar estatísticas como as relacionadas ao sono e também à direção que os tubarões estavam seguindo.

De acordo com os autores do estudo, os resultados ajudam a explicar o porquê dos tubarões viajarem longas distâncias nos oceanos e mesmo assim conseguirem retornar para a suas regiões de origem. Mesmo com os testes tendo sido realizados apenas com a espécie de tubarões-de-pala, os pesquisadores acreditam que essa sensibilidade a forças magnéticas também está presente em outras espécies.

Em 2005, um tubarão branco foi monitorado em uma grande viagem de mais de 20 mil quilômetros, da África do Sul até a Austrália, ida e volta, praticamente em linha reta, segundo a Science Magazine.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Fábio Fleury

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias